Melanoma

O que é melanoma?

 

O melanoma é um câncer de pele que se desenvolve a partir dos melanócitos  (células que dão cor à pele, cabelo e olhos).

Os melanócitos produzem melanina que por sua vez ajuda a proteger a pele da radiação ultravioleta do sol. Quando as células dos melanócitos se agregam elas formam uma pinta.

A maioria das pintas é segura, no entanto, às vezes, os melanócitos em uma pinta começam a crescer e a se dividir de maneira descontrolada. Se eles começarem a crescer de forma desregulada, ou se expandindo para fora ou para baixo nas camadas inferiores da pele, eles podem se tornar um melanoma.

O melanoma é a forma mais grave de câncer de pele e cresce muito rapidamente se não for tratado. Pode espalhar-se para a parte inferior da sua pele (derme), entrar no sistema linfático ou na corrente sanguínea e depois espalhar-se para outras partes do corpo.

O que causa o melanoma?

 

A principal causa evitável de melanoma é a exposição excessiva à radiação UV do sol. Existem muitos fatores de risco que aumentam as chances de melanoma, incluindo pessoas com pele clara, grande número de pintas (50 ou mais), histórico familiar e histórico de queimaduras solares, especialmente durante a infância.

 

O melanoma é hereditário?

 

A reposta geral é que não. Muito raramente, um gene defeituoso específico que causa alto risco de melanoma pode ser passado de uma geração para a seguinte. Para a maioria das pessoas é a combinação de muitos faotres (que podem ser herdados geneticamente) que aumentam o risco, tais como: pele mais clara, cabelos loiros ou ruivos, número de pintas e outros.

 

O melanoma pode ser prevenido?

 

A boa notícia é que, se detectado precocemente, o melanoma pode ser tratado com enorme eficácia.

É por isso que novas pintas ou pintas existentes que mudaram recentemente de aparência devem ser verificados por um especialista. Pessoas que possuem características que as enquadram no grupo de risco para melanoma devem fazer um check-up da pele pelo menos uma vez a cada 12 meses.

A maneira mais eficaz de prevenir o melanoma é se proteger do sol em todos os momentos (especialmente com crianças). Isso significa evitar a exposição ao sol das 10 h da manhã às 4 horas da tarde, além de proteger sua pele com protetor solar, roupas e um chapéu sempre que você estiver fora (mesmo em dias nublados).

Como o melanoma é diagnosticado?

 

O diagnóstico inicial é feito clinicamente após a lesão ser avaliada por um médico. Na maioria dos casos é o próprio paciente ou o acompanhante que depois notam uma nova vpinta na pele ou uma mudança para uma pinta existente. Por isso é tão importante ficar atento para lesões de pele que apresentem mudança.

 

 

Diagnóstico Inicial

 

O seu médico fará um exame físico para verificar todas as partes da pele. Um intrumento chamado dermatoscópio é utlizado para facilitar a visualização de lesões de pele (apliando-as). Caso algo suspeito seja encontrado, uma biópsia daquela lesão será feita.

Biópsia

 

Toda lesão suspeita de melanoma idealmente deve ser retirada por completa e enviada para biópsia (isso é chamado de biópsia excisional).

 

A biópsia excisional é um procedimento rápido e simples que pode ser feito no mesmo dia da primeira consulta em nossa sala cirúrgica. Você receberá um anestésico local para anestesiar a área (similar a anestesia do dentista). Após a remoção completa da lesão, alguns pontos serão dados na pele de forma a fechar a ferida. A amostra será enviada para patologia.

 

 

Patologia

 

Um patologista examinará ao microscópio a biópsia de pele para ver se ele contém alguma célula cancerosa. Os resultados estarão prontos entre sete a dez dias. Você terá uma consulta de retorno para discutir o resultado da biópsia.

 

Se as células cancerígenas são encontradas, o próximo passo é estadiar o melanoma para ver se as células cancerosas se espalharam. Isso pode incluir retirar mais tecido.

 

Opções de tratamento

 

Existem muitas opções de tratamento disponíveis dependendo do estágio do melanoma.

O tratamento mais comum para o melanoma localizado (estágio inicial) é a cirurgia e na maioria dos casos, esse é o único tratamento necessário.

 

Casos mais avançados de melanoma, onde o câncer se espalhou para outras partes do corpo, podem exigir tratamentos como quimioterapia, radioterapia, imunoterapia ou terapia-alvo.

 

O seu médico irá recomendar a melhor opção de tratamento com base na medida em que o melanoma progrediu juntamente com outros fatores, como a sua idade e estado geral de saúde.

 

Cirurgia

 

A cirurgia é o tratamento mais comum para o melanoma, no entanto, seu objetivo varia dependendo de quão longe o câncer progrediu.

 

Ampliação de margens

 

Embora uma biópsia inicial remova, na maioria das vezes, todo o melanoma visível, a ampliação de margens é geralmente recomendada para reduzir ainda mais o risco de recorrência do melanoma.

 

Isso envolve a remoção de pele saudável ao redor do melanoma.

 

A ampliação de margens geralmente remove de 1-2cm em torno do local do melanoma original, no entanto, esta quantidade varia dependendo da profundidade do tumor e até onde ele se espalhou nas camadas inferiores da pele. A maioria das excisões locais são fechadas com pontos aproximando as bordas da ferida, no entanto excisões maiores podem exigir enxertos de pele ou retalhos de pele.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Biópsia do Linfonodo Sentinela

 

Este tipo de cirurgia é realizado quando um melanoma primário de maior risco foi diagnosticado após a biópsia inicial. A biópsia de linfonodo sentinela, ou pesquisa de linofonodo sentinela determina se o melanoma se espalhou para os gânglios linfáticos que drenam aquela região. Saber se o melanoma se espalhou para os linfonodos também fornece uma estimativa do risco potencial de disseminação para outras partes do corpo.

 

O processo de biópsia do linfonodo sentinela começa com com um exame chamado linfocintilografia que através da injeção de um contraste (uma espécie de tinta radioativa) no local da lesão, nos informará qual o linofonodo sentinela. O contraste é injetado na pele ao redor de um melanoma, onde passa para o sistema linfático. Uma espécie de raio-x nos dirá aonde se localiza o linfonodo sentinela, que nada mais é do que o primeiro linfonodo a receber a drenagem linfática daquela região.

 

Durante a cirurgia um corante chamado azul patente é injetado também ao redor da lesão. Esse corante irá corar o linfonodo sentinela de azul. Assim que localizado, o linfonodo sentinela é removido e enviado para um patologista que avalia se as células malignas estão presentes. Células malignas são um indicador do risco de o melanoma se espalhar para outras partes do corpo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ad

Dissecção de Linfonodo

 

O melanoma que se espalhou para os linfonodos sentinela nos grupos linfonodais da axila, pescoço ou virilha pode permanecer nestes grupos linfonodais antes de se espalhar para os órgãos. Nestes casos, o melanoma pode, às vezes, ser curado com uma cirurgia chamada esvaziamento linfonodal (ou linfadenectomia) que remove todos os linfonodos daquele grupo linfonodal. Existem três tipos de linfadenectomia: axilar, pescoço e virilha.

Cirurgia plástica reparadora

 

Um dos efeitos colaterais associados com alguma cirurgia de melanoma é a cicatrização significativa da pele ou mesmo a função corporal alterada, por ex. nervos danificados ou perda de movimento.

 

É por isso que associamos o tratamento do melanoma com a cirrugia plástica reparadora para garantir que nossos pacientes tenham a melhor aparência possível.

 

Enxertos de pele - esta técnica é usada quando a ampliação de margens deixa uma área de ferida grande demais para serem fechadas pela aproximação de bordas. A pele é retirada de outra parte do corpo (geralmente a coxa ou região clavicular) e usada para cobrir a ferida. Os enxertos de pele parcial utilizam apenas as camadas superiores da pele para uma menor morbidade na área doadora com resultados mais pobres na área receptora, enquanto que os enxertos de pele de espessura total utilizam a espessura total da pele, obtendo um resultado melhor e esteticamente agradável na área receptora, e só podem ser retirados de áreas em que é possível retirar o enxerto realizando o fechamento borda a borda .

 

Retalhos- Os retalhos envolvem a pele adjacente sendo levantada e movida sobre a ferida sem ser totalmente cortada do corpo. A vantagem deste procedimento é a combinação de cores e texturas da pele, além da cicatrização da ferida mais rapidamente, graças ao suprimento de sangue que permanece intacto.

Agende sua consulta

Se preferir, envie um WhatsApp

Agende sua consulta

Se preferir, envie um WhatsApp

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2019 by Ivan Dunshee