Mamoplastia de aumento

Cirurgia indicada para as pacientes que tem seios pequenos, flácidos (que perderam volume, geralmente após amamentar ou após grande perda de peso) ou assimétricos.

A prótese pode ser colocada através de 3 vias e em 2 planos. As vias de acesso são: sulco submamário, peri-areolar e axilar. Os planos são: retromuscular e subglandular.

A via de acesso mais utilizada (em 70% dos casos nas cirurgias realizadas no Brasil) é atravé sdo sulco submamário. É uma via rápida, pouco dolorosa, que permite ao cirurgião um rápido e fácil acesso à região, e deixa a cicatriz na região da dobra da mama. Tem o inconveniente de ser visível quando se utiliza biquinis do tipo "cortininha". A via peri-areolar é a segunda mais utilizada, e através de uma incisão ao redor da aréola o cirurgião tem acesso à região do implante. A cicatriz é discreta e por vezes, muito pouco perceptível. Tem como desvantagem uma leve  diminuição na capacidade de lactação (porém maior quando comparada com as outra técnicas), e maiores taxas de infecção quando comparadas com as outras técnicas (mesmo assim muito baixa).

A via axilar é utilizada quando quer se evitar a cicatriz na região mamária. A cicatriz fica discretamente posicionada na região axilar. Sua desvantagem é maior tempo de recuperação e maior dor no pós operatório.

Todas as vias podem ser utilizadas para colocar a prótese nos 2 planos. O plano subglandular, utilizado na maioria dos casos, é quando colocamos o implante atrás da glândula mamária, acima do músculo. É utilizado quando tempo uma boa quantidade de parênquima e tem como vantagem menos dor no pós operatório. O plano submuscular (atrá do músculo) é utilizado em pacientes muito magras, com pouco parênquima mamário e pacientes que desejam obter a transição tórax - prótese mais suave. Tem como desvantagem maior dor pós operatória, porém apresenta menores taxas de contratura. O plano subfascial é uma variação do plano submuscular, se assemelhando a este.

As próteses podem ser redondas ou em formato anatômico (gota) , e variam conforme a sua projeção: normal, alto e superalto.

A cirurgia leva de 1 a 2 horas, e a alta pode ser dada até no mesmo dia. O retorno às atividades se dá em torno de uma semana, e às atividades físicas em 30 dias. Nesse período, é recomendado o uso de sutiã cirúrgico e nào é recomendado levantar o braço acima dos ombros. A via axilar e a colocação da prótese submuscular requerem um período de recuperação geralmente mais longo.

Agende sua consulta

Se preferir, envie um WhatsApp

Agende sua consulta

Se preferir, envie um WhatsApp

Agende sua consulta

Se preferir, envie um WhatsApp

© 2019 by Ivan Dunshee